O Brasil já ultrapassou a marca de 1GW em energia solar. O que isso representa?

A escassez de recursos no nosso planeta é uma preocupação que atinge a todos nós, mas as vezes temos alguns vislumbres de esperança que apontam para um futuro mais eficiente energeticamente e mais sustentável.

 

Essa esperança, atualmente, pode ser percebida no destaque que o Brasil anda tendo na produção de energia solar, sendo que em 2018, pela primeira vez na história, nosso país apresentou um crescimento de 1153% na produção de energia solar (em relação ao final de 2016), e quebrou o seu primeiro recorde: chegamos a 1 Gw em energia solar.

 

Esses números são bem expressivos, pois apenas 30 países em todo o mundo já atingiram a marca de 1 Gw em energia solar, e com um crescimento tão exacerbado, o Brasil se coloca em posição de igualdade com países considerados como os bastiões da energia solar e da sustentabilidade.

 

Clima propício para a energia solar

Isso é o que diz a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), e ela destaca o grande potencial que o Brasil possui na produção de energia solar, principalmente pela nossa localização próxima à Linha do Equador.

 

 

Mas para além do clima, essa notícia foi comemorada próxima à outra celebração: a contratação de usinas de energia solar por uma fração do preço de outras licitações, realizada através de leilões. Agora, além de atingirmos esse marco histórico de 1 Gw e o crescimento astronômico de 1153%, também podemos celebrar o investimento em energia limpa e renovável pelo Governo, o que aponta para uma tendência mais sustentável no caminho de desenvolvimento do Brasil.

 

Segundo a ABSOLAR, os projetos de grande porte, como é o caso dessas usinas que foram contratadas em dezembro, representam cerca de 0,935 Gw produzidos no país. Outras soluções menores, como os painéis fotovoltaicos residenciais, somam 0,164 Gw.

 

Com esse crescimento extremamente otimista, o recorde obtido e a preocupação do Governo em procurar o investimento na energia solar, o futuro do Brasil realmente parece estar calcado em um clima propício para a energia solar, e, é claro, não estamos falando somente do nosso sol.

 

Tirando o atraso

Essas boas notícias surgem em um bom momento para o país, já que a pauta de sustentabilidade está em alta no mundo inteiro e, segundo a ABSOLAR, o Brasil possui atrasos significativos no uso e na produção da energia solar.

 

 

Com o nosso clima, a Rodrigo Sauaia, presidente da ABSOLAR, destacou em nota que nós poderíamos estar liderando o ranking dos países produtores de energia solar, mas infelizmente estamos cerca de 15 anos atrasados em investimentos e tecnologias.

 

Um crescimento na casa dos milhares não quer dizer exatamente que estamos investindo pesado na energia solar e na sustentabilidade, mas sim que esses investimentos não foram realizados por anos e anos, enquanto vários países pelo mundo, por sua vez, destinavam recursos para a produção.

 

Crescimento para a superação dos recursos hídricos

A falta de investimentos até o momento em energia solar se mostra quando comparamos a matriz energética brasileira e os principais recursos de geração de energia.

 

Enquanto as hidrelétricas são responsáveis por cerca de 60% da produção de energia, as usinas fotovoltaicas, mesmo com o crescimento na casa dos milhares, ainda ensaia um tímido 1%.

 

1,1 Gw é um número histórico, sem dúvidas, mas é necessário trabalhar muito para se atingir uma porcentagem próxima dos 155 Gw produzidos pelo país como um todo. Esse trabalho, ao que tudo indica, está sendo realizado: as novas usinas passarão a operar a partir de 2021, e prometem trazer cerca de 500 Mw para somar na nossa produção de energia solar.

 

Energia solar valorizando condomínios

E essa tendência não gira apenas em torno de questões mundiais. Na verdade, uma maior preocupação do Governo na produção de energia solar tem impactos nas casas e condomínios por todo o país.

 

 

A sustentabilidade está em alta, e vem se mostrando como grande viabilizadora de valorizações em empreendimentos imobiliários. Da mesma forma que os condomínios se valorizam quando há a instalação de internet por fibra ótica, por exemplo, ou soluções de segurança patrimonial, valor também é agregado com painéis fotovoltaicos para a energia solar.

 

Isso porque as soluções de energia solar em condomínios e residências apelam diretamente para o bolso dos moradores, que passam a gastar menos nas contas de energia, além da própria ideia de sustentabilidade, que é tendência e se mostra como um diferencial na escolha de um novo lar.

 

Você não vai querer ficar de fora dessa, não é? Para entender mais sobre essa tendência e conhecer outras na esfera dos condomínios, não deixe de acompanhar os artigos da Consultrevi Solar!

 

(imagens: divulgação)

Related posts